sábado, 21 de agosto de 2010

Adoção - a saga continua

E aí que nós fomos chamados para uma reunião na Vara da Infância, da Juventude e do Idoso (VIJI). Quando a assistente social me ligou, fiquei beeeeeeeeeeeem desanimada pq ela disse que não seria uma entrevista individual e que era uma reunião com outras pessoas tb pq recisávamos atualizar umas questões de documentação.

Ok!

Fiquei com uma meeeeeeeeeeeeega pulga atrás da orelha e xinguei gerações tanto da assistente social (AS), quanto do governo, claro! O Léo achou a notícia de uma reunião ótema! A Elise deu graças a deus que o processo não havia sido perdido. Eu estava apreensiva e um tanto quanto puta, afinal, são 9 meses de espera para receber uma ligação convocando para uma reunião para rever documentação.

No dia e horário marcados estávamos lá mais que ansiosos!!!



A reunião doi conduzida pela AS e uma psicóloga. Aliás, as mesmas da nossa reunião do início do processo. Éramos umas 30 pessoas, mais ou menos. Elas falaram um pouquinho e depois começaram uma dinâmica. Até aí, tudo lindo! Fomos divididos em grupos e fomos estimulados a debater os medos e apreensões que envolvem a adoção blablablablabla.

Depois disso, veio eftivamente a informação de que estávamos lá pq os nossos preocessos chegaram para elas em janeiro de 2010 e por isso, deveríamos ser enquadrados na Nova Lei da Adoção. Para isso, deveríamos assistir à, no mínimo, três reuniões de grupos de apoio a adoção e tirar umas certidões (cíveis e criminais) que tem o custo de R$800 (média/casal). As pessoas reclamaram BASTANTE dessas certidões.

Claro que reclamei também, mas a minha maior reclamação é o tempo de espera.

ESPERAMOS NOVE MESES PARA SERMOS INFORMADOS QUE NÃO ESTAMOS COM A DOCUMENTAÇÃO CORRETA???????

Vá pra porra!!!!

E para piorar, uma delas (não lembro qual) mandou uma pérola depois de falar das declarações e da galera reclamar. Mais ou menos assim: "Agora vcs vão ter que ver se é isso mesmo que vcs querem." Algo assim!!!  O que eu entendi foi: "quem quiser mesmo adotar vai estar disposto a gastar essa grana." Eu acho essa discussão muito complicada pq eu acho que não é a disposição pra gastar 800 pratas que pode definir se eu quero ou não adotar. Não é o fato de ter ou não 800 pratas pra pagar no pau por 8 certidões que vai definir se eu quero adotar ou se tenho condição financeira para isso. Mas parece que a lei quer que isso seja, sim, um ponto de definição para o casal. Enquanto isso as crianças crescem nos abrigos ou são maltratadas por pais despreparados que não receberam QUALQUER tipo de orientação para criar seus filhos, que não pagaram nada por certidões, que não foram questionados sobre a sua capacidade de serem pais. Mas isso não é necessário, né, eles são pais biológicos. VAI TOMAR NO CUUUUU!!!!

Ah! Quando a galera estava reclamando sobre o valor das certidões, uma delas disse: "ah, gente, vcs tb tem que ver que o processo de adoção é todo gratuito. A única coisa paga são essas certidões!"

Durma-se com um barulho desse...

Ah, sim...voltando à questão do tempo de espera...

Para vocês entenderem, o primeiro passo quando se quer adotar é assistir à uma reunião informatica na VIJ. Nessa reunião recebemos os formulários para dar entrada no processo e a AS e a psicóloga falam um pouco sobre adoção, sobre a documentação, etc, etc, etc. Pois bem, a nossa reunião foi em outubro de 2009 e demos entrada no processo no dia 17/11/09.

A NOVA LEI DA ADOÇÃO ENTROU EM VIGOR NO DIA 3/11/09.

E eu pergunto:
Pq na reunião de outubro não informaram sobre a documentação já de acordo com a nova lei?

Pq quando demos entrada a pessoa que protocolou o nosso processo não falou nada?

Pq quando as AS receberam o nosso processo (janeiro/10) não entraram em contato imediatamente para avisar sobre essa documentação?

Pq esperar tanto tempo para informar que não saímos do lugar??

Na boa, isso pra mim é um descaso tanto com os adotantes quanto com as crianças.

Bom, agora vamos correr atrás do tempo perdido!!!

Update: Se alguma AS ou qualquer pessoa da VIJI passar por aqui, é bom que veja as coisas pelo ângulo dos pais e das crianças e faça alguma coisa para mudar isso, pq é muito fácil apenas achar que sou desbocada e não tenho capacidade para ser mãe.

6 comentários:

Renata disse...

Caceta, Dani. Fiquei revoltada com isso tudo, imagino vc! É realmente um descaso fora do comum, ainda mais com tanta criança abandonada por aí.
Afe! Força, querida. Não desanima não...
beijoca

Drica Menezes disse...

bah, fiquei tão indignada com isto q nem sei o q te falar....este país não tem mais jeito mesmo! triste isto! Força e paciência pra vcs, como disse a Renata, não desanimem! Mil bjks!

Clarissa disse...

Dani, que saga isso hein???
Nossa é muita burocracia! Fala sério.... revolt total!!! beijos

Samantha disse...

Prima, isso realmente revolta. É tratar crianças e futuros pais como coisas. Mas tenha fé. Não desista. corra atrás dos seus direitos. Pode ter certeza que o Arthurzinho espera por todo esse esforço de vcs.Te amo! Bjus,Sá.

Gerson do Amaral disse...

Faaaala minha lindona!

Fiquei tão bolado com esse lance do processo todo de adoção que joguei no twitter um link pra cá. Se bombar de views a culpa é minha! eheheh

Saudade grande de vc e sua boca limpinha... eheheh

beijãozão!

Elise Machado disse...

Só agora consegui comentar.
Época de eleição chegando... sei lá, acho que agora mesmo é que o negócio desacelera, sem querer ser (mais) pessimista.
Mas, como eu disse - pelo menos não PERDERAM teu processo numa pilha de muitos.

Esse país é tão ridículo, que quando nos enrabam a gente agradece a sorte de ser com KY... surreal!
Deixa estar que essa porra vai andar.

Tem que focar que, bem ou mal, há uma previsão de alguma coisa agora, por mais longa que seja. Porque acho que não saber em que pé está é mais desesperador.
Enfim.

Tou aqui sempre.
Beijas e te ama.